Euripedes | Dir. Arte | Professor

Besouro, o filme, resenha.

O que faz a diferença

4 Comments


Share this post

Parabéns ao Brasil por fazer um filme mais do que necessário, estava na pré-estréia e me diverti muito, um filme que a capoeira precisava, que os negros precisavam, que o cinema precisavam, mas que um filme de ação, um filme que mostra sobre a nossa cultura.

O filme é bom por diversos aspectos, poderia ser melhor ainda (é claro),  se tivesse um final mais subjetivo.

A fotografia e a direção de arte do filme são muito boas, elas ajudam a situar o espectador no ambiente do filme com sensações visuais muito apuradas, mostrando a pobreza do negro, mostrando a sua sensualidade sem ser vulgar, a sujeira, a limpeza e as suas tradições.

O filme fala sobre um famoso capoeirista, muito cantado nas rodas em todo o mundo, chamado Besouro, nas cantigas, sempre é dito que ele tinha o corpo fechado, e que nada poderia matá-lo a não ser…. Indepentente desse enredo, creio que o filme engloba aspectos culturais muito interessantes e que para nós os brasileiros andam esquecidos ou marginalizados.

O Candomblé, na sua excessência, não isso que vemos hoje como “macumba”, mas a cultura dos negros em que cada elemento da natureza é uma entidade importante, um orixá que cuida e apóia seus filhos e que os venera, sem distinção do que é o mal e o bem, já que ambos andam juntos e não existem se outro não existir.

A abolição da escravidão, e como os negros ainda continuaram sendo marginalizados, tratados como animais, motivos de piada, como somente poderia ser trabalho braçal e pesado, onde os lucros e a continuidade do processo de opressão se mantém. O próprio negro como ser humano, como povo alegre, que se diverte, é inteligente e se torna marginal pela consequência do que o mundo lhe oferece, muitas vezes sem alternativas e muitas vezes com outros caminhos muito interessantes.

Não se pode esquecer do capoeirista em si, essa arte tão bonita que anda muito abandonada, onde a malandragem do jogo é confundida com a malandragem da vida, nesse filme ela é tratada como merece, com respeito, e não só como luta, mas principalmente como ferramenta de libertação, como forma de colocar o pensamento nas ruas, nas cabeças das pessoas, isso é um ponto importante da capoeira que é esquecido.

A trilha poderia ser um pouco mais influente no filme, a música do Nação Zumbi é muito boa, mas poderia ser mais agressiva ainda, e a música do Gilberto Gil por vezes fica massante (aquele tradicional traquejo vocal/grito que ele faz sempre), as outras músicas passam desapercebidas. As coreografias de luta, com participação nas criação das cenas do coreógrafo de “O Tigre e o Dragão” são muito boas, embora o protagonista se mostre um pouco ainda desconfortável com os fios e cabos o puxando, ele entende de capoeira, faz os movimentos corretos (como pratiquei capoeira 6 anos posso afirmar), tem um “jogo bonito”.

O amor que ele demonstra pela capoeira e seu mestre também é importante, mas não só como mestre de capoeira, mas como um divulgador de idéias, um mestre de pensamentos, puramente intelectual e não físico, o mestre, não joga capoeira no filme, ele só trabalha com seus ensinamentos, isso se aproxima muitos dos filmes internacionais que mostram o mestre e o discípulo dessa forma, e isso é extremamente importante no contexto da história.

Para não deixar de falar no roteiro, poderia ser mais subjetivo, deixando na mente das pessoas algumas conclusões, sobre as pessoas, sobre o próprio besouro e como acaba o filme, deixando de ser uma obviedade e fazendo até mais coro com a idéia de herói, e a idéia do ideal que ele perseguia, para que de repente as pessoas pesassem: “besouro existia, ou besouro era uma idéia, um ideal que os negros perseguiam”? Personagem x é filho de personagem y? Qual seriam tais razões. Mas no geral ele agrada, e bastante.

Eu aconselho ir assistir, um filme nacional que merece nosso apoio, a cultura do nosso país e do nosso povo precisa de apoio. Agradeço muito ao site www.dormiu.com.br/ , ganhei o convite da pré-estréia por esse site e fiz essa resenha porque realmente gostei muito.

Besouro, cordão de ouro!

Site oficial: http://www.besouroofilme.com.br/

Blog: http://www.besouroofilme.com.br/blog/

4 Responses to this post
  1. Posted on October 21, 2009 by Cíntia

    Que resenha heim!

    Adorei amor!

    Bju

  2. Posted on October 23, 2009 by uberVU - social comments

    Social comments and analytics for this post…

    This post was mentioned on Twitter by euripedesm: Fiz uma resenha sobre o filme de ontem, Besouro! tks @dormiu #besouro http://euripedes.com.br/blog/?p=489

  3. Posted on November 18, 2009 by Mara

    Já faz tempo que o Gilberto Gil ficou massante. A política não fez bem para a arte dele hihiHIHihi. E esse filme teve o mesmo coreógrafo chinês Huen Chiu Ku, que fez nada menos que Matrix, O Tigre e o Dragão e os dois Kill Bill. Super quero ver esse filme. o/

  4. Posted on November 24, 2009 by Fernandes

    Sinceramente, eu esperava mais. A trilha sonora foi péssima, para um filme de capoeira que só 8% do filme se ouvia o som do berimbau; deixou a desejar. A filmagem foi focada muito em cima do personagem em algumas partes do filme, ficando uma imagem incompleta e o audio dos personagens em muitas cenas ficou abafado.

Add your comment